A vida bloqueada
instiga o teimoso viajante
a abrir nova estrada.

Helena Kolody

segunda-feira, 16 de julho de 2012

PRECE


 Prece

Concede-me, Senhor, a graça de ser boa,
De ser o coração singelo que perdoa,
A solícita mão que espalha, sem medidas,
Estrelas pela noite escura de outras vidas
E tira d’alma alheia o espinho que magoa.

Um comentário:

  1. Já tive que declamar este poema,há uma historia chocante mas bonita por trás dele,gosto muito dos poemas dela!

    ResponderExcluir